Mudanças entre as edições de "Apolônia Klein Streithorst"

De wikiasd
Ir para: navegação, pesquisa
m (adicionando fotos)
 
Linha 56: Linha 56:
  
 
[[Categoria:Biografias]]
 
[[Categoria:Biografias]]
[[Categoria:Obreiros]]
+
[[Categoria:Obreiros Bíblicos]]
 
[[Categoria:Revista Adventista]]
 
[[Categoria:Revista Adventista]]
 
[[Categoria: Infobox]]
 
[[Categoria: Infobox]]
 
[[Categoria: Mulheres]]
 
[[Categoria: Mulheres]]

Edição atual tal como às 11h14min de 12 de janeiro de 2016

Apolônia Streithorst
Apolônia Klein Streithorst
Nome completo Apolônia Klein Streithorst
Nascimento 17 de Dezembro de 1893
Morte 28 de janeiro de 1979 (85 anos)
Nacionalidade Alemã
Filiação Mãe: Cristina Röttgen
Pai: Jacob Klein
Cônjuge Germano Paulo Streithorst
Filho(s) Germano (pastor), Walter (pastor), Harry, Emannuel (professor), Helen S. Raffo e Helga Esther Liedke
Ocupação Obreira bíblica, nutricionista, enfermeira, assistente social e evangelista infantil
Principais interesses Auxílio na obra Adventista
Religião Adventista do Sétimo Dia

APOLÔNIA KLEIN STREITHORST (1893-1979). Obreira bíblica, nutricionista, enfermeira, assistente social e evangelista infantil. Nasceu no dia 17 de dezembro de 1893 em Roblentz, Alemanha. Filha de Jacob Klein e Cristina Röttgen.

Conheceu o Evangelho em uma série de conferências públicas e após o batismo matriculou-se numa escola de Enfermagem de Friedensan, onde conheceu o jovem Germano Streithorst.

Aos 18 anos de idade, pós concluir o curso de enfermagem, casou-se com Germano Paulo Streithorst em 1913. Da união conjugal nasceram seis filhos: Germano (pastor), Walter (pastor), Harry, Emannuel (professor), Helen S. Raffo e Helga Esther Liedke.

Irmã Apolônia foi uma incansável lutadora junto ao esposo, trabalhando como obreira bíblica, enfermeira, assistente social e em evangelismo infantil. Foi por dois anos nutricionista do Hospital Silvestre.

Viveu com seu esposo durante 66 anos. Tão logo foi informada da morte do esposo, agravou-se seu estado de saúde e dois dias depois, 28 de janeiro de 1979, faleceu.

Uma de suas últimas frases antes de falecer, muitas vezes repetida, foi: "Eu aguardo o meu Salvador que breve virá”.

BIBLIOGRAFIA

Obituário na Revista Adventista, abril de 1979, p. 23.