Mudanças entre as edições de "David Hort"

De wikiasd
Ir para: navegação, pesquisa
(Criando página)
 
(5 revisões intermediárias por 2 usuários não estão sendo mostradas)
Linha 1: Linha 1:
DAVID HORT (1833-1894). Patrono da Igreja Adventista do Brasil. Mineiro e comerciante. Nasceu na Alemanha em 1833.
+
{{Info/Biografia
 +
|bgcolour              = #cccccc;
 +
|nome                  = David Hort
 +
|imagem                = David Hort.jpg
 +
|imagem_tamanho        = 200px
 +
|imagem_legenda        = Foto de David Hort
 +
|nome_completo        = David Hort
 +
|nascimento_data      = {{dni|||1833}}
 +
|nascimento_local      = Alemanha
 +
|morte_data            = {{morte|||1894|||}}
 +
|morte_local          =
 +
|nacionalidade        = Alemão
 +
|ocupação              = Negócios
 +
|cidadania            =
 +
|causa_morte          =
 +
|etnia                =
 +
|nome_mãe              =
 +
|nome_pai              =
 +
|pseudônimo            =
 +
|pseudónimo            =
 +
|movimento            =
 +
|escola                =
 +
|interesses            =
 +
|ideias_notáveis      =
 +
|principais_críticos  =
 +
|principais_trabalhos  =
 +
|cargo                =
 +
|empregador            =
 +
|cônjuge              = Anna Dorothea Von Stalnburg
 +
|filhos                = German, Carl e Adolfo
 +
|religião              = Luterano
 +
|influências          =
 +
|influenciados        =
 +
|outros_nomes          =
 +
|conhecido_por        =
 +
|website              =
 +
|assinatura            =
 +
|rodapé                =
 +
}}
 +
 
 +
DAVID HORT (1833-1894). Patrono da Igreja Adventista do Brasil. Mineiro e comerciante. Nasceu na Alemanha em 1833. Trabalhou como mineiro na Alemanha.
 
   
 
   
Em 1869 imigrou para o Brasil com a sua família, em uma viagem de 91 dias em um navio à vela. Trouxe consigo a esposa Anna  Dorothea  Von Stalnburg (1834-1918), com a filha de Anna (Maria, nascida em 1859); e dois filhos de David com Anna: German Hort(nascido em 1861) e Carl Hort (nascido em 1863).  
+
Em 1869 imigrou para o Brasil com a sua família, em uma viagem de 91 dias em um navio à vela. Trouxe consigo a esposa Anna  Dorothea  Von Stalnburg (1834-1918), com a filha de Anna (Maria, nascida em 1859); e dois filhos, de David com Anna: German Hort(nascido em 1861) e Carl Hort (nascido em 1863).  
  
 
David  Hort também teve mais um filho no Brasil: Georg Friedrich Adolf Hort; conhecido como Adolfo Hort (1871-1944). Adolfo foi um dos pioneiros da Igreja Adventista do Sétimo dia. Sendo  um missionário dedicado e um dos  primeiros líderes da igreja. Também foi  o primeiro tesoureiro da Associação Catarinense (1911) e membro do Corpo Executivo da primeira União da IASD no Brasil (1912).
 
David  Hort também teve mais um filho no Brasil: Georg Friedrich Adolf Hort; conhecido como Adolfo Hort (1871-1944). Adolfo foi um dos pioneiros da Igreja Adventista do Sétimo dia. Sendo  um missionário dedicado e um dos  primeiros líderes da igreja. Também foi  o primeiro tesoureiro da Associação Catarinense (1911) e membro do Corpo Executivo da primeira União da IASD no Brasil (1912).
  
David Estabeleceu-se como comerciante, domo de um armazém, no Bairro Dom Joaquim, Rua do Cedro, 729, em Brusque - SC.  
+
David Estabeleceu-se como comerciante, dono de um armazém, no Bairro Dom Joaquim, Rua do Cedro, 729, em Brusque - SC.  
 
Por volta de 1880, revistas adventistas começaram a ser enviadas dos Estados Unidos para a venda do Sr. David. Como David não se interessou pela literatura, utilizou o material para embrulhar as vendas. Desta forma, possibilitou durante vários anos, a propagação da mensagem adventista através de literaturas e periódicos religiosos em alemão, tais como as revistas: “Stimme der Warheit’ (A Voz da Verdade),  “Prophetischer Erklärer"(Guia Profético), “Herold der Wharheit”(Arauto da Verdade), "Christlicher Hausfreund"  (Amigo do Lar Cristão), e livros como: “Gedanken Über das Buch Daniel” (Comentário Sobre o Livro de Daniel).
 
Por volta de 1880, revistas adventistas começaram a ser enviadas dos Estados Unidos para a venda do Sr. David. Como David não se interessou pela literatura, utilizou o material para embrulhar as vendas. Desta forma, possibilitou durante vários anos, a propagação da mensagem adventista através de literaturas e periódicos religiosos em alemão, tais como as revistas: “Stimme der Warheit’ (A Voz da Verdade),  “Prophetischer Erklärer"(Guia Profético), “Herold der Wharheit”(Arauto da Verdade), "Christlicher Hausfreund"  (Amigo do Lar Cristão), e livros como: “Gedanken Über das Buch Daniel” (Comentário Sobre o Livro de Daniel).
 
   
 
   
Linha 17: Linha 57:
  
 
BIBLIOGRAFIA: Borges, Michelson; ''A Chegada do Adventismo  ao Brasil''. CPB  2006; ''100 anos de Fé, Pioneirismo e Missão'', Associação Catarinense da IASD 2007; “Pegadas dos Pioneiros”, ''Revista Adventista'', dezembro, 1956; Primórdios do Adventismo no Brasil História da Igreja. Alberto R. Timm, ''Revista Adventista'', janeiro de 2005, 13; Depoimentos de descendentes, colaboração de Emir Schmitt  (tataraneto de David Hort), setembro de 2013.
 
BIBLIOGRAFIA: Borges, Michelson; ''A Chegada do Adventismo  ao Brasil''. CPB  2006; ''100 anos de Fé, Pioneirismo e Missão'', Associação Catarinense da IASD 2007; “Pegadas dos Pioneiros”, ''Revista Adventista'', dezembro, 1956; Primórdios do Adventismo no Brasil História da Igreja. Alberto R. Timm, ''Revista Adventista'', janeiro de 2005, 13; Depoimentos de descendentes, colaboração de Emir Schmitt  (tataraneto de David Hort), setembro de 2013.
 +
 +
[[Categoria:Biografias]]
 +
[[Categoria:Pioneiros]]
 +
[[Categoria:Revista Adventista]]

Edição atual tal como às 13h32min de 12 de janeiro de 2016

David Hort
Foto de David Hort
Nome completo David Hort
Nascimento 1833 (187 anos)
Alemanha
Morte 1894
Nacionalidade Alemão
Cônjuge Anna Dorothea Von Stalnburg
Filho(s) German, Carl e Adolfo
Ocupação Negócios
Religião Luterano

DAVID HORT (1833-1894). Patrono da Igreja Adventista do Brasil. Mineiro e comerciante. Nasceu na Alemanha em 1833. Trabalhou como mineiro na Alemanha.

Em 1869 imigrou para o Brasil com a sua família, em uma viagem de 91 dias em um navio à vela. Trouxe consigo a esposa Anna Dorothea Von Stalnburg (1834-1918), com a filha de Anna (Maria, nascida em 1859); e dois filhos, de David com Anna: German Hort(nascido em 1861) e Carl Hort (nascido em 1863).

David Hort também teve mais um filho no Brasil: Georg Friedrich Adolf Hort; conhecido como Adolfo Hort (1871-1944). Adolfo foi um dos pioneiros da Igreja Adventista do Sétimo dia. Sendo um missionário dedicado e um dos primeiros líderes da igreja. Também foi o primeiro tesoureiro da Associação Catarinense (1911) e membro do Corpo Executivo da primeira União da IASD no Brasil (1912).

David Estabeleceu-se como comerciante, dono de um armazém, no Bairro Dom Joaquim, Rua do Cedro, 729, em Brusque - SC. Por volta de 1880, revistas adventistas começaram a ser enviadas dos Estados Unidos para a venda do Sr. David. Como David não se interessou pela literatura, utilizou o material para embrulhar as vendas. Desta forma, possibilitou durante vários anos, a propagação da mensagem adventista através de literaturas e periódicos religiosos em alemão, tais como as revistas: “Stimme der Warheit’ (A Voz da Verdade), “Prophetischer Erklärer"(Guia Profético), “Herold der Wharheit”(Arauto da Verdade), "Christlicher Hausfreund" (Amigo do Lar Cristão), e livros como: “Gedanken Über das Buch Daniel” (Comentário Sobre o Livro de Daniel).

Ainda hoje se encontra o antigo casarão de David, muito visitado, por ser considerado um monumento histórico ou memorial da esperança. Sendo assim, David Hort passou a ser considerado como um Patrono da Igreja Adventista no Brasil e um dos Pioneiros dessa Esperança.

David Hort não se tornou um membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia, tal como muitas pessoas o fizeram através da literatura que foi disseminada em seu comércio. Porém, após falecer, a esposa e o filho Adolfo foram batizados, em dos primeiros batismos da Igreja Adventista no Brasil, em 1896.

David faleceu em 1894, aos 61 anos de idade e foi sepultado no Cemitério da Comunidade Luterana em Brusque - SC. Sua esposa foi sepultada no Cemitério da Comunidade Adventista em Jaraguá do Sul - SC, em 1918, aos 84 anos.

Curiosamente a palavra Hort, em alemão significa rocha, refúgio, fortaleza e salvação; o que combina com esta mensagem de fé e esperança em meio a este mundo de incertezas.

BIBLIOGRAFIA: Borges, Michelson; A Chegada do Adventismo ao Brasil. CPB 2006; 100 anos de Fé, Pioneirismo e Missão, Associação Catarinense da IASD 2007; “Pegadas dos Pioneiros”, Revista Adventista, dezembro, 1956; Primórdios do Adventismo no Brasil História da Igreja. Alberto R. Timm, Revista Adventista, janeiro de 2005, 13; Depoimentos de descendentes, colaboração de Emir Schmitt (tataraneto de David Hort), setembro de 2013.