Domingos Silva Costa

De wikiasd
Ir para: navegação, pesquisa
Arquivo:Domingos Silva Costa.jpg
Foto de Domingos Silva Costa

DOMINGOS SILVA COSTA (1882-1971). Colportor e professor. Filho de João Ribeiro da silva e Maria Teófila de Jesus. Nasceu no dia 4 de agosto de 1882 em Alagoinhas, Bahia. Quando rapaz, foi para Salvador morar com o padrinho Sr. Alcibíades da Silva Lima, o qual possuí uma loja, onde Domingos era vendedor.

Na época, era praticamente da igreja metodista, e em 1915 soube notícias da existência do Colégio Adventista Brasileiro (Atual UNASP-SP), almejando uma educação cristã, para lá se dirigiu, onde foi batizado e cursou até o 3° ano teológico.

Ao sair do colégio, tornou-se colportor e professor, ocasião em que chegou até à fazenda da família Oliveira em Extrema- MG.

O Sr. Oliveira possuía vários filhos, Domingos lecionou para as crianças e deu estudos bíblicos aos adultos e como fruto, a família toda aceitou a Cristo. Um dos filhos se dirigiu ao IAE e se tornou evangelista e mais tarde professor.

Em 1925, Domingos foi para a cidade de Niquelândia. Algum tempo depois mudou-se para Uruaçu, fazenda Riação - distante a 18km de Uruaçu, localidades do estado de Goiás.

Casou-se com Guilhermina Souza Costa em 1931 e da união conjugal nasceram três filhos: Dulcineia (professora), Lorival (fazendeiro), e Emerson (pastor).

Fundou a primeira igreja do estado de Goiás. O Pr. A.N. Allen o nomeou como ancião da igreja.

Gostava de tocar clarineta e acompanhava os hinos da igreja.

Em 1937 estava colportando quando chegou na fazenda Palmital, próxima da cidade Jaragua, GO. Ali morou Otávio Alves da Costa, recém batizado pelo Pr. Allen. Domingos foi convidado para ser professor, pois não havia escola na região. O irmão Tavinho, como era conhecido, construiu um galpão na sede de sua fazenda, que durante a semana funcionava como escola e aos sábados como igreja.

Como resultado do seu trabalho, mais de cem pessoas foram batizadas e muitos grupos foram estabelecidos em Goiás.

Domingos voltou com a família para a fazenda Riachão. Logo em seguida foi colportar em Itumbiara, GO e Jataí, GO. Na fazenda Riachão, até hoje é realizado um congresso campal, que ocorre uma vez por ano, promovido pela Associação Brasil Central.

Em 1930, as estradas eram precárias, portanto, Domingos percorria longas distâncias a pé ou a cavalo.

Em 1946, foi convidado pela Missão Goiana-Mineira (Goiás, Tocantins e o triângulo mineiro) para ser obreiro, substituindo o pastor Oscar dos Reis na cidade de Monte Alegre, MG, onde permaneceu até 1948. Retornou ao Riachão.

Quando havia algum treinamento na Missão em Goiânia, Domingos percorria 300 km juntamente com Gerson Nunes, sobrinho de sua esposa.

Faleceu em 1971, em Uruaçu. Foi sepultado no cemitério dos pioneiros, na fazenda Riachão. Suas últimas palavras foram: “Guardem seus corações”, dirigidas para seus familiares.

BIBLIOGRAFIA: Dados enviados pela ABC (Associação Brasil Central).