Hospital Adventista do Pênfigo, MS

De wikiasd
Ir para: navegação, pesquisa

Localização

Localiza-se na Av. Günter Hans, 5885, numa área de 39 hectares, distante 12 Km do Centro de Campo Grande, MS. É administrado pela União Sul-Brasileira da IASD. Inicialmente o Hospital Adventista do Pênfigo, era especializado apenas no tratamento do Pemphigus Foliaceus, uma doença de pele, endêmica, vulgarmente chamada de Fogo Selvagem. Hoje o Hospital tem capacidade para 100 leitos, 35 para a Dermatologia, 45 para o Hospital Geral e 20 para o Centro de Vida Saudável. Em 1948, Alfredo Barbosa de Souza, Pastor Adventista cuja esposa havia sido curada do fogo selvagem através da descoberta de uma fórmula por Isidoro Jamar, começou a tratar as vítimas dessa doença em Campo Grande, MS. Logo, os pacientes começaram a aparecer em um número cada vez maior e a Missão Mato Grossense da IASD precisava fazer algo por eles. Nesta ocasião, o recém-convertido casal Bernardo e Ida Carvalho Baís Rodrigues, tomando conhecimento da necessidade, resolveu doar a área num local retirado da cidade, pois o Departamento de Vigilância Sanitária julgava ser doença contagiosa.

Histórico

As primeiras instalações foram pequenas cabanas e em março de 1949, o Pr. Durval Stockler de Lima, então presidente da Missão, e sua esposa iniciaram um plano para a construção de um hospital para tratamento da doença. O primeiro prédio do hospital foi inaugurado em 9 de novembro de 1959 com o Dr. Edgar Bentes Rodrigues servindo como primeiro diretor clínico, Pr. Durval Stockler de Lima como secretário e Ismael P. de Loyola como tesoureiro. Na época de sua fundação, chamava-se Hospital Matogrossense do Pênfigo.

Inicialmente o tratamento era feito com o remédio chamado Jamarsan. Com a ajuda farmacêutica, o Dr. Günter Hans reformulou o Jamarsan para Neo-Jamarsan em 1960. Desde então, a fórmula tem sido aperfeiçoada várias vezes. Cerca de 250 pacientes de Fogo Selvagem são internados todos os anos e mais ou menos 1000 são atendidos ambulatorialmente.

Em 18 de setembro de 1966 foi inaugurado o segundo prédio, com melhores condições. O projeto iniciou-se em 1963, com a ajuda da Agência de Desenvolvimento Bonn Brot Für Die Welt-Stuttgart e a colaboração do Conselho Mundial de Igrejas-Genebra, Comissão de Estudos Especiais e Confederação Evangélica do Brasil.

Em 20 de maio de 1982, foi inaugurado um moderno prédio abrigando um Hospital Geral. O Hospital que na época de sua fundação chamava-se Hospital Matogrossense do Pênfigo, hoje possui especialização nas áreas de: Anestesiologia, Angiologia, Campimentria Visual, Cardiologia, Cineangio-Coronariografia, Cinecoronariografia, Cirurgia Buco-Facial, Cirurgia Cardíaca, Cirurgia Geral, Cirurgia Pediátrica, Cirurgia Plástica, Cirurgia Torácica, Cirurgia Vascular, Clínica Médica, Colonoscopia, Colo-Proctologia, Dermatologia, Ecocardiografia, Ecocolordoplec-Cardiografia, Eletroencefalografia, Eletromiografia, Endocrinologia, Endoscopia, Fisioterapia Reabilitação, Fonoaudiologia, Gastroenterologia, Geriatria, Ginecologia Obstetrícia, Hematologia, Infectologia, Laboratório e Análises Clínicas, Mamografia, Mastologia, Nefrologia e Hemodiálise, Neurologia, e Neurocirurgia, Odontologia, Oftalmologia, Oncologia, Ortopedia, Otorrinolaringologia, Pediatria, Pneumologia, Psicologia, Psiquiatria, Radiologia, Reumatologia, Tomografia Computadorizada, Ultrassonografia e Urologia.

Além de todo equipamento moderno, o hospital mantém o Centro de Vida Saudável, com programas periódicos em grupos de até 20 pessoas que desejam deixar de fumar, beber, com problemas de estresse, obesidade, diabetes, hipertenção.

Entre os eventos que marcaram, a história, está um de maior destaque: em setembro de 1982 a grande cura de Cecília Sunita Guria, uma menina de sete anos que veio da Índia para ser tratada de Fogo Selvagem.

Há ainda na propriedade do hospital leiteria, padaria, marcenaria, horta e residências para médicos e obreiros. No centro de Campo Grande, temos instalações da Garantia de Saúde juntamente com consultórios e escritórios para melhor atendimento aos pacientes.

Durante todos estes anos o Hospital Adventista do Pênfigo tem feito o possível para cumprir sua missão de levar alívio aos milhares de pacientes de Fogo Selvagem, sem qualquer custo para os portadores desta doença. Este é um trabalho caro e só sobrevive graças a ajuda de pessoas dedicadas que se interessam pelo bem da humanidade.

Diretores

Dr. Günter Hans (1960-1973);
Dr. Alfredo Marquart Filho (1974-1977);
Dr. Wilson Lessa (1977);
Dr. René Gross (02/1978-10/1979);
João Cristóvão Xavier (11/1979-09/1981);
João Kiefer Filho (11/1981-12/1987);
Hélnio Judson Nogueira (01/1988- ).

Bibliografia

Informações fornecidas por Hélnio J. Nogueira.