Instituto Adventista da Amazônia Ocidental (IAAMO)

De wikiasd
Revisão de 08h23min de 13 de setembro de 2013 por Hanna (discussão | contribs) (Criou página com '== Sobre == É uma instituição que oferece os Ensinos Fundamental e Médio, e que funciona em regime de internato e externato. Localizando - se em uma área de 2.009 hectar...')

(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

Sobre

É uma instituição que oferece os Ensinos Fundamental e Médio, e que funciona em regime de internato e externato. Localizando - se em uma área de 2.009 hectares na linha 60, Km 7, na cidade de Mirante da Serra, RO, a 410 quilômetros de Porto Velho, RO. Pertence e é administrado pela União Norte - Brasileira da IASD ( UNB).

Em suas terras eram desenvolvidas as seguintes atividades agropecuárias: cacau, banana, feijão, arroz, mandioca, soja, milho, produtos hortifrutigranjeiros, como também criação de gado.

No dia 22 de julho de 1980, o INCRA doou uma área de 2.009 hectares para a construção do internato. O técnico agrícola Manoel Ramos, considerado o pioneiro, junto com um grupo de cinco membros da IASD fizeram a derrubada de árvores e construíram um barracão.

Histórico

A instituição foi fundada no dia 8 de junho de 1981 por iniciativa dos pastores Aníbal Antônio Pittau e Sandoval Linhares, de acordo com o voto 80/114 da União Norte Brasileira da IASD (UNB). As primeiras construções do colégio situavam-se no km 56 da linha 81, na cidade de Ouro Preto do Oeste, RO. Posteriormente foi transferido para o endereço citado acima. No início, o colégio recebeu o nome de Instituto Adventista Agro - Industrial de Rondônia, passando a se chamar Instituto Adventista Agro - Industrial da Amazônia Ocidental, em 13 de agosto de 1981.

Sua primeira administração era composta pelo Pr. Jael Fernandes (diretor), Milca Moraes (secretária) e Carlos Moraes (tesoureiro).

O ano letivo iniciou em 21 de abril de 1982 oferecendo apenas o curso primário com dois professores, Laurindo Fernandes de Oliveira e Carlos Moraes, e 25 alunos matriculados. No dia 19 de abril de 1983, foi demarcado o local para a construção das instalações do colégio, e a inauguração da nova infra - estrutura ocorreu no dia 10 de junho do mesmo ano. O corpo discente contava, na época, 53 alunos internos e sete externos.

A partir de 1984, foi implantada a 5ª série; em 1985, a 6ª série, e assim respectivamente até a 8ª série. A legalização de terras deu-se em outubro de 1988 e em 9 de novembro do mesmo ano, o Conselho Estadual de Educação autorizou o funcionamento da escola em caráter oficial.

Em 1991 foi implantado o II Grau (atual Ensino Médio), e no ano seguinte, o colégio começou a oferecer o curso Técnico em Contabilidade. No dia 11 de dezembro de 1994, houve a primeira formatura do II Grau, com 14 formandos.

As construções definitivas foram colocadas no centro da área que mede 5 km de frente por 4 km de fundo. Em face das dificuldades da região, o primeiro telefone foi instalado na escola em junho de 1994 e em 1995 foi feita a escavação do primeiro poço artesiano, que supria toda a escola. Até o ano de 1994, a energia elétrica vinha de um pequeno grupo - gerador que funcionava três horas por dia. Em 1995 o consumo de energia elétrica foi ampliado através da compra de mais dois grupos - geradores e de um contrato de parceria com a Companhia Elétrica do Estado - CERON, beneficiando não só a escola, mas também toda a região. A rede foi feita no primeiro semestre de 1996, sendo instalados dois transformadores de 75 KVAs, inaugurados no dia 21 de outubro do mesmo ano.

O conservatório Musical foi implantado em 1995, possuindo canto coral com 80 vozes e um conjunto. No início de 1996, a escola fez um lago artificial de aproximadamente 120 m x 350 m, que recebeu o nome de Lagoa das Garças.

Oito casas para professores e funcionários foram construídas entre 1995 e 1996. Em 1996 o dormitório feminino foi ampliado em mais seis quartos, com capacidade total para acomodar 102 moças e iniciou - se o curso de Magistério. A autorização da planta de construção definitiva do colégio, com capacidade para 560 alunos internos, e a aprovação do Plano Piloto deu-se em maio de 1996, pelo Conselho de Educação da UNB.

Diretores

Laurindo Fernandes de Oliveira (10/1981 - 06/1982);
Carlos Moraes (07/1982 - 04/1983);
Joel Fernandes (05/1983 - 10/1985);
Perci Alves da Silva (11/1985 - 07/1986);
Manoel Messias Lula (08/1986 - 04/1987);
Perci Alves da Silva (05/1987 - 07/1988);
James Everett Craik (08/1988 - 09/1989);
José Maria de Moura (10/1989- 08/1990);
Erasmo dos Santos Lima Filho (09/1990 - 12/1993);
Carlos F. de Almeida Thober (02/1994 - ....).

Bibliografia

Revista Adventista, dezembro, 1994, 25; Informações fornecidas por Luzia O da Silva Rêgo, Lucimar Provin A Neto, Laurindo Fernandes de Oliveira, Raimunda Alves de Jesus, Carlos F de Almeida Thober, em 17 de abril de 1997.