Obra Médico-Missionária da IASD no Brasil

De wikiasd
Ir para: navegação, pesquisa

Histórico

Serviço de assistência médica às pessoas carentes em lugares de difícil acesso. Pessoas capacitadas prestaram serviço à esta obra no Brasil. O Pr. Huldreich F. Graf (1855-1946) chegou a Brasil em 1895 como o primeiro missionário, onde permaneceu por 12 anos. Ensinou aos conversos, princípios de saúde, tratamentos naturais e hidroterapia.

Em 1902, veio Abel Landers Gegory, médico e dentista dos EUA, como missionário de sustento próprio para ajudar no desenvolvimento da Obra Médica no Rio Grande do Sul, em companhia do Pr. Huldreich F. Graf, Gregory trabalhou no Brasil durante 7 anos (1902-1909). Uniram-se a ele a médica Luiza Wurtz e a enfermeira Corina Hoy, dos EUA.

Somente em 1939 sob a liderança de E. H. Wilcox, então presidente da União Sul-Brasileira da IASD, é que a obra médico-missionária se estabeleceu, vindo a surgir quatro hospitais posteriormente: Hospital Adventista de São Paulo (HASP), SP (1942); Hospital Adventista Silvestre, RJ (1948); Hospital Adventista de Belém, (HAB) PA (1951) e Hospital Adventista de Campo Grande, MS (1959).

Além desses quatro hospitais, em foi estabelecido o Hospital Adventista de Vitória, ES, e atualmente, em fase de construção, o Hospital Adventista de Engenheiro Coelho, SP, localizado nas imediações do Campus do IAE/Ct.

Em 1928, Alvin Nathan Allen, missionário dos EUA, iniciou uma obra assistencial entre os índios carajás e estabeleceu a Missão do Rio Araguaia. A idéia de realizar uma obra médico-missionária itinerante no Rio Amazonas utilizando lanchas adaptadas para isso, partiu do jovem alemão Hans Mayer. Embarcou para o Brasil, por conta própria, em companhia de seu irmão. Mais tarde, com a esposa Joana e colportor André Gedrath trabalhou como missionário de sustento próprio no Rio Amazonas em um barco construído por ele.

Em 1931, Leo Blair Halliwell, vindo dos EUA com a esposa Jessie Halliewell, projetou e construiu a lancha Luzeiro I. A primeira de uma série que recebeu esse nome. As outras lanchas que se seguiram foram: Luminar (1946) no Rio São Francisco; Samaritana (1955) no Rio Ribeira; Cruzeiro do Sul (1963), na Baía de Paranaguá e a Luzeiro D’Oeste (1972) em Mato Grosso do Sul. Deu um grande incentivo ao trabalho das lanchas o Pr. Antônio Nogueira Jr. que ajudou a construir várias delas.

Atualmente há 9 lanchas ativas singrando os rios do Brasil levando assistência médica, odontológica e espiritual à populações carentes.A obra médico-missionária continua a progredir no Brasil e atualmente conta com 6 hospitais, 21 clínicas e dispensários, 9 lanchas e 6 clínicas móveis.

Bibliografia

Renato Oliveira, "Assistência Social Adventista no Brasil", IAE, 1984.